Posso remover um dispositivo USB sem utilizar a função “Remover hardware com segurança”?

Posso remover um dispositivo USB sem utilizar a função “Remover hardware com segurança”?

Muitas vezes nos questionamos se existe realmente algum problema em desligar a nossa Pen Drive USB ou o nosso Disco externo sem usar a função do Windows “Remover hardware com segurança”.

Até já o fizemos anteriormente uma dezena de vezes e nada aconteceu... então pensamos “não há-de ser nada” e desligamos mais uma vez sem usar a dita função. Fazemo-lo, ou porque estamos com pressa, ou porque, mesmo já tendo encerrado tudo e mais alguma coisa no computador, continua a aparecer aquela mensagem chata e entediante: “O dispositivo ainda está em uso. Feche todos os programas que possam estar a usar o dispositivo, e tente novamente”, mesmo sabendo nós que já desligámos tudo e mais alguma coisa, não tendo nada aberto no computador.



A paciência esgota-se e puxamos o cabo mais uma vez.
Podemos ouvir vários relatos sobre este assunto: pessoas que desligam frequentemente o cabo sem informar o sistema e sem qualquer consequência, e pessoas que, pelo azar dos azares, ao fazê-lo pela primeira vez, perderam os dados ou queimaram os dispositivos.
As opiniões são diversas, mas quem tem realmente razão?
Vamos ao mais obvio primeiro: claro que, se removermos o nosso USB enquanto estamos a copiar dados para ele, ou a usar algum aplicativo que está a trabalhar sobre o nosso equipamento, existe uma grande probabilidade que se percam dados, ou mesmo que o sistema de ficheiros fique corrupto a um ponto de não conseguirmos voltar a aceder ao dispositivo.



E se tivermos a certeza que fechámos todos os aplicativos ou que terminamos as cópias que estávamos a fazer? Nesse caso, podemos puxar o cabo com a paz de espírito de que nada de mal vai acontecer? A resposta é “Não”, ainda assim não o devemos fazer.

O Windows está munido com uma funcionalidade para dispositivos externos de armazenamento de dados, denominada “Write Caching” que está desenhada para melhorar a performance destes dispositivos. Com esta função ativa (por defeito), todos os dados transferidos para o seu dispositivo podem ser retidos em cache na memória do seu computador, ou seja, em vez de serem imediatamente copiados para o seu dispositivo, o sistema pode esperar por uma altura mais conveniente para o fazer, de forma a fazer uma melhor gestão da velocidade de transferência.



O único senão de ter esta opção ativa é que deixa o seu equipamento mais vulnerável à perda de dados ou corrupção de ficheiros no caso de, acidentalmente, ou deliberadamente, retirar o cabo do seu dispositivo sem primeiro usar a opção “remover o hardware com segurança”.

Muitas vezes pode parecer que a cópia de dados que estava a fazer terminou corretamente, no mostrador apareceu: “completo a 100%”, mas na realidade não tenha terminado. Ao remover o dispositivo USB usando a função de “remover o hardware com segurança” ou “ejetar” ele irá informar o computador de que o dispositivo vai ser removido, consequentemente vai ordenar para que sejam escritos todos os dados que possam estar pendentes na cache do seu computador, e assim que terminados todos os processos de escrita informa que podemos remover.



Uma boa opção para quem é mais impaciente, é remover a opção de “write caching”. As melhorias de performance que está opção traz são mínimas, portanto acredito que não vai notar a diferença.
Em sistema Linux e Mac OS esta opção está ativa por defeito, portanto, a não ser que não tenha muito amor aos dados que tem no dispositivo, nunca o remova sem ser de forma segura.
Voltando à questão inicial, posso remover um dispositivo USB sem utilizar a função “Remover hardware com segurança”? Poder, pode, mas definitivamente corre um risco acrescido. Eu próprio já passei pela experiência de remover Pen drives USB que aparentemente não estavam em nenhum processo de escrita, e no final de contas, quando as liguei novamente, ou tinha os dados corruptos, ou o dispositivo já não era reconhecido pelo sistema operativo.

Assim, o que recomendo é que perca aqueles 2 ou 3 segundos extra e remova o dispositivo com segurança. Dessa forma, é garantido que o sistema operativo faz o seu trabalho e não deixa processos a meio que podem provocar danos nos dados e/ou nos dispositivos.

Por: Tiago Colaço

©2017 Grupo HDR. Todos os direitos reservados.

Search